Origem Sustentável inicia fase de novas adesões e treinamentos

Origem Sustentável inicia fase de novas adesões e treinamentos 26Jun
Origem Sustentável

Criado pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couros, Calçados e Artefatos (Assintecal), com gestão do Instituto By Brasil (IBB), o Programa Origem Sustentável entrou em nova fase. A partir deste mês, empresas iniciaram adesões ao programa e recebem treinamentos para entender o passo a passo da implementação da certificação de sustentabilidade.

O programa, que existe desde 2013, foi reformulado no início deste ano com o intuito de otimizar a certificação de sustentabilidade. O presidente do IBB, Evandro Wolfart, ressalta que o novo formato extinguiu o nível Branco, que não previa auditoria para certificação. A partir de agora, todas as empresas interessadas serão auditadas pela SGS, ABNT, BUREAU VERITAS ou SENAI. Wolfart conta que 15 empresas de calçados e componentes estão passando pelo processo para a certificação nos novos moldes, com indicadores nas dimensões Ambiental, Econômica, Social e Cultural, além da Gestão da Sustentabilidade. “As mesmas já participaram do primeiro treinamento com instrução de como aplicar os indicadores nos seus processos produtivos. Para o mês de julho existe uma agenda de novos treinamentos”, adianta o presidente.

Segundo o presidente do IBB existe uma tendência global por sistemas sustentáveis e o programa oportuniza que as empresas da cadeia coureiro-calçadista, por meio de uma ferramenta de alta credibilidade e de padrão internacional, possam contar ao mercado a importância da sustentabilidade nos seus processos produtivos. “Acredito que as empresas que não optarem por estas certificações acabarão, em médio prazo, perdendo espaço no mercado”, ressalta.

Para o diretor-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, o programa é “muito mais do que uma certificação de sustentabilidade”, pois, com indicadores claros e aplicáveis, auxilia as empresas na realização e adaptação para processos produtivos totalmente sustentáveis, não somente na forma ambiental, mas também econômica, social e cultural. “O programa, além de certificar, indica caminhos para as empresas adotarem sistemas sustentáveis de produção”, avalia Ferreira.

Já a superintendente da Assintecal, Ilse Guimarães, avalia que a certificação prioriza as boas práticas ambientais em sua complexidade global. “Estamos falando de bases sólidas nos aspectos culturais e organizacionais, o que gera redução de impacto em todas as esferas sociais: colaboradores, empresa, população e meio ambiente. Junto, ainda gera redução de custos para as empresas, maior inserção no mercado mundial e mais respaldo para seus colaboradores e consumidores”, comenta a dirigente.

Benefícios
Os ganhos proporcionados pela certificação vão além da imagem perante o mercado. Entre as empresas já certificadas, os benefícios são evidentes.

Para a Piccadilly Company, certificada no nível Ouro na unidade de Igrejinha/RS, através de novas práticas foi possível obter um reaproveitamento médio de 20% das aparas de sintéticos geradas no processo produtivo. Esse reaproveitamento resultou na redução de envio para coprocessamento de 5.000 kg de sintético ao ano, e com isso a empresa obteve resultados econômicos favoráveis. Outro benefício foi a reutilização de resíduos industriais para o tratamento de esgoto sanitário, com o qual a empresa logrou uma economia de 32%.

Já para a Bibi, empresa com certificação nível Diamante na unidade de Parobé/RS, a partir da implantação de processos sustentáveis foi possível a análise e monitoramento de fornecedores no que se refere à gestão ambiental e trabalhista, bem como o desenvolvimento de produtos sem toxidades (substâncias restritas). Além disso, houve um aumento de 62% na utilização de adesivo à base d’água, entre outros ganhos.

Na Cipatex, empresa certificada no nível Ouro na unidade de Cerquilho/ SP, 100% dos resíduos gerados pelas unidades do grupo, tanto líquidos quanto sólidos, são triados, tratados e encaminhados para a reciclagem ou para destinação correta. Assim, nada é descartado e toda a renda obtida a partir da destinação dos resíduos é aplicada na melhoria contínua de processos relacionados à responsabilidade ambiental, na compra de novos filtros e novas tecnologias renováveis.

Para saber mais sobre o programa e aderir a certificação, contate a Abicalçados ou a Assintecal.

Ligar

Diagnóstico