Designer britânica cria MarinaTex, um bioplástico feito dos resíduos de peixe

Designer britânica cria MarinaTex, um bioplástico feito dos resíduos de peixe 10Fev
Inovação

Um material facilmente biodegradável feito dos resíduos de peixe foi criado pela designer britânica Lucy Hughes. O bioplástico MarinaTex é forte, translúcido e flexível, e pode se tornar uma alternativa mais ecológica para embalagens de uso único, como sacos e embalagens para sanduíches. Diferentemente dos materiais atuais usados ​​para esses fins, ele se decompõe em latas de lixo ou compostagem doméstica, e seus principais ingredientes são escamas de peixe e pele, resíduos que a MarinaTex evita que acabem em aterros sanitários. O MarinaTex ganhou o Prêmio James Dyson do Reino Unido num total de 30 mil euros. Para conquistar o prêmio internacional, Lucy venceu designers de outros 27 países. Segundo a designer: “O MarinaTex resolve dois problemas: a onipresençado plástico descartável e do desperdício de peixe. Mais pesquisas e desenvolvimento garantirão que o MarinaTex evolua ainda mais, e espero que isso se torne parte de uma resposta global à abundância de resíduos plásticos de uso único”. Designer britânica cria MarinaTex, um bioplástico feito dos resíduos de peixe Lucy criou o MarinaTex para seu projeto de final de ano no curso de design de produtos da Universidade de Sussex, de onde ela se formou recentemente. Ela pretendia criar algo que utilizasse um grande fluxo de resíduos em vez de materiais virgens, o que a levou à indústria pesqueira do Reino Unido. Ela realizou mais de 100 experimentos para refinar a mistura bioplástica , principalmente usando o fogão da cozinha em seu apartamento estudantil. As escamas de peixe e a pele removida durante o processamento geralmente acabam incineradas ou enterradas em aterros sanitários. E com estimadas 500.000 toneladas desse lixo produzidas anualmente pela pesca do país, parece possível que a Marinatex possa ser ampliada para a produção industrial. Lucy diz que os resíduos de um bacalhau do Atlântico são suficientes para produzir 1.400 sacolas MarinaTex. O material é de baixa energia para produzir e, dado que é baseado nos resíduos existentes, não sobrecarrega os recursos naturais da Terra. Também é forte, apresentando uma maior resistência à tração do que o material atual mais comumente usado para sacolas plásticas, o LDPE (polietileno de baixa densidade). Fonte: Stylo Urbano

Ligar

Diagnóstico